Ocitocina sintética: a intervenção mais comum

July 2, 2018

Em meio aos meus estudos, foi com um  enorme susto que eu assimilei o seguinte dado: A ocitocina sintética é a intervenção mais comum no trabalho de parto, em nível planetário. 

 

E sim, isso é realmente assustador.

É super importante dizer que, aqui no Brasil, muitas mulheres nem se quer autorizam o uso da ocitocina sintética, apenas recebem e em decorrência disso muitas acabam indo para a cesariana, o que me parece uma ótima estrategia de algumas instituições para uma cesária desnecessária. O uso da ocitocina sintética sem autorização da mulher é considerada uma violência obstétrica. 

Mas, antes de iniciar minha critica a esse tipo de intervenção eu vou explicar um pouco sobre o que é a ocitocina sintética.

 

A ocitocina é um hormônio, ou seja, o corpo produz naturalmente. 

Esse hormônio é o responsável (entre outras coisas) pela contração do útero e consequentemente a dilatação do colo do útero. Conforme o trabalho de parto avança, o nível de ocitocina também. Porém a ocitocina anda lado a lado com outros fatores ambientais e emocionais, por exemplo: ambiente acolhedor e com luzes mais baixas, relaxamento da mulher. 

Esse é o grande motivo por muitas mulheres "pararem" o trabalho de parto quando chegam nas instituições que escolheram para parir, claro, em geral o ambiente não é nada acolhedor e em muitos casos também não é privativo. Podem reparar que muitas mulheres avançam em seu tp em casa, mas quando chegam aos hospitais de uma hora pra outra o tp "para". E quando isso acontece...Bom é praticamente tudo o que muitas instituições desejam pq ai vem aquela cascata de intervenções. Tais como a ocitocina sintética. Inclusive eu gostaria de dizer que MUITOS médicos simplesmente não realizam partos sem algum tipo de intervenção, por isso, questione o seu médico sobre a sua postura em tp e as intervenções que ele costuma utilizar. Se a resposta for algo como "falamos disso depois" ou "não se preocupe, se você precisar eu vou usar" TROCA o seu médico. E troca de médico também se ele nunca falar com você sobre plano de parto, isso não é um sinal bom. (sobre plano de parto tem postagem aqui no blog do tema)

 

Ok, voltemos a ocitocina sintética, um hormônio produzido sinteticamente, que tem a função de acelerar as contrações uterinas.


Esse tipo de intervenção é amplamente utilizada principalmente em países emergentes. Recentemente pesquisas estão revelando que a ocitocina sintética está relacionada ao aumento crescente da dificuldade de amamentar e a incidência de desmame precoce. Isso é realmente muito serio! Além do fato da ocitocina sintética ser relacionada com o aparecimento do ciclo de medo-tensão-dor . 

Muito comum as mulheres que utilizaram ocitocina no tp serem conduzidas a uma cesária, alias com o uso deste muitas realmente pedem a cesária. Isso pq a ocitocina sintética produz contrações bem fortes e a dosagem administrada é realmente muito grande.

 

Eu já observei uma mulher  recebendo ocitocina sintética sem o seu consentimento, oferecido como um "soro". Realmente esse caso ficou bem marcado em minha memoria, principalmente pq a doulanda que estava acompanhando me pediu para ajuda-la, já que ela gritava tanto de dor apos o "sorinho" , quando cheguei nessa mulher ela nem sabia o que era ocitocina. Triste demais. Alias essa mesma mulher gritou por no minimo uns 30 minutos antes de ter seu bebe desassistida, em um leito com seu companheiro, dentro de um hospital municipal aqui de SP. (alias esse hospital é considerado modelo e tem até um centro humanizado, sinceramente, é o maior descaso! Fica no extremo da zona norte, uma pesquisa básica você vai saber de qual instituição estou falando)

 

A questão é: pq interromper o processo natural do corpo com algo tão agressivo?

 

 

 

 

Please reload

Posts em destaque

Simbologia dos ajustes na pratica de Yoga

November 21, 2017

1/2
Please reload

Marcadores
Posts recentes

November 21, 2019

November 15, 2019

October 21, 2019

September 22, 2019

Please reload

 Concentração Invertida  
concentracaoinvertida@gmail.com