Liberdade sexual. Ilusão ou realidade?

October 31, 2016

A postagem de hoje é sobre sexualidade, prazer, auto estima e liberdade sexual feminina.

 

Sexualidade feminina, por que não falamos dela?

Prazer feminino - que prazer? - perguntam muitas mulheres. 

Auto estima sustentada pelos padrões da mídia, que a todo instante fala que precisamos de algo para sermos realmente bonitas e aceitas. 

Temas que estão interligados, mas com pouco debate entre as mulheres.

 

Vou começar falando de algo muito bom:

Moça, mulher sente prazer sim!Muito prazer!

O clítoris é a unica parte do corpo feminino ( e também masculino) dedicada exclusivamente para o prazer.

Moça, seu clítoris tem de seis a oito mil terminações nervosas sensoriais, diga-se de passagem mais do que em qualquer estrutura do corpo humano.

Mulheres sentem prazer e podem ter ejaculação sim!

 

Esclarecido isso, gostaria de saber o por que entre nos mulheres não existe quase conversa sobre o tema.. Por que aceitamos saber tão pouco a respeito do nosso próprio prazer e sabemos tanto sobre o prazer masculino?

Por que a maioria das mulheres deixam seu prazer de lado em nome do prazer masculino?

Por que mulheres se sentem culpadas se o homem não gozar, mas acham normal elas mesmas não terem orgasmos? 

A relação sexual não pode ser baseada exclusivamente no prazer masculino. Reflita sinceramente... quantas vezes seu prazer sexual foi esquecido, reprimido ou indiferente?

Alias, você conhece os seus prazeres sexuais? 

Conhecer a sua própria sexualidade não deveria ser motivo de vergonha e sim de orgulho. 

Conhecer a sua sexualidade é muito importante, é reconhecer uma parte de si mesma. Você só pode ter liberdade sexual se conhecer a sua própria sexualidade, além disso a sua auto estima tem muita relação com a sua sexualidade.

 

Para completar a sua reflexão dentro desse assunto, o esquecimento do prazer feminino e a aceitação do mesmo, gostaria de compartilhar um trecho de uma coluna da revista Az Mina.

 

"Ser sexy, fazer os caras pirar, ser a gostosona que leva homens à loucura… Tudo isso é para eles. E eu não percebia que, no fundo, eu nunca prestava atenção em mim. Tanto que mal consigo lembrar da maior parte das minhas transas. Mas isso era normal, não? Não é que mulher não goza sempre? Eu sempre acreditei nisso. Se eu não gozava, ah, normal!

Gozar sempre é coisa de homem. E quando eles não gozavam, eu me sentia culpada.

Alguma coisa eu tinha feito de errado.de repente, transando, comecei a me sentir boa fazendo uma coisa: dando prazer. Eu nunca consegui me autorreconhecer. Eu preciso do reconhecimento do outro, e, pra mim, isso tem vindo dos homens. E quando não vem, eu me sinto um lixo. Os filmes, as revistas, as novelas, tudo sempre me dizia que eu precisava conquistar os homens.ui abusada por mim mesma e pelo machismo, porque me deixei convencer de que era o certo e o normal. Porque fingi orgasmos, porque transei sem vontade, porque enchi a cara pra conseguir abrir as pernas, porque seduzi caras e fiz sexo simplesmente pra me sentir desejada, sem sentir prazer algum, porque abri mão dos meus desejos pra satisfazer os dos outros.

Isso sim é ser livre: saber gozar, do meu jeito, independente de alguém estar ficando louco ou me achando sexy." 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Please reload

Posts em destaque

Simbologia dos ajustes na pratica de Yoga

November 21, 2017

1/2
Please reload

Marcadores
Posts recentes

November 21, 2019

November 15, 2019

October 21, 2019

September 22, 2019

Please reload

 Concentração Invertida  
concentracaoinvertida@gmail.com

  • Instagram